Confraria de Nossa Senhora do Sameiro celebra “Dia do Irmão” com inaugurações, em espírito de solidariedade, gratidão e festa.

 

A Confraria de Nossa Senhora do Monte Sameiro celebrou ontem, dia 6 de novembro, o “dia do irmão”, começando por assinalá-lo com a inauguração de um conjunto de obras recentemente levadas a cabo pela Confraria.

A cerimónia começou pelas 15h30, com a receção a quantos ajudaram a Confraria a concretizar as inovações: novo sistema de som na Cripta e implementação de sistema de fibra ótica em todo o recinto; requalificação da capelinha exterior de Nossa Senhora do Sameiro; focos de iluminação da imagem primitiva da Senhora do Sameiro; assento na Alameda dos Jacarandás. Aos mecenas, o Cón. José Paulo Abreu, anfitrião e Presidente da Confraria, endereçou sentidas palavras de apreço e gratidão.

 

Novo sistema de som e a fibra-ótica

Na sequência das referidas obras, a Cripta do Santuário do Sameiro usufrui agora de um novo sistema de som, algo há muito desejado, e que resultou de um estudo minucioso das condições e das necessidades específicas do espaço, que apresentava uma acústica muito difícil. O grande objetivo foi assegurar as melhores condições de escuta a todos os que participam nas celebrações litúrgicas e dotar a Cripta de meios adequados a outros grandes eventos e encontros que ali se realizam, ao nível da própria Arquidiocese.

Este novo sistema é flexível e de tecnologia digital, permitindo diversas configurações melhor adaptadas a cada uso específico. A amplificação é distribuída e cobre a nave na sua totalidade. Está dividida numa zona central ampla, sempre ligada, e duas zonas laterais que só são ativadas se a lotação do espaço o justificar, reduzindo interferências acústicas. Foram revistos os microfones no coro e na zona do altar para garantir o melhor som possível. A instalação permite ainda disponibilizar diversas saídas que podem ser diretamente usadas pela comunicação social para gravação ou transmissão de eventos.

Em simultâneo com esta obra, foi também efetuada a instalação de fibra-ótica que permitiu expandir a infraestrutura de rede do Santuário até à Cripta e assegurar o acesso à Internet nas melhores condições para a transmissão de eventos. São obras voltadas para o futuro, só exequíveis graças ao empenho e generosidade de muitos e em particular de empresas como a Ilídio Mota, na pessoa do Sr. Ilídio Mota, a Tnord-Tech, na pessoa de Sr. António Silva e a Cengavis, na pessoa do Sr. Mário Vila Nova.

 

Capelinha exterior, imagem primitiva e murete

Também a capelinha exterior dedicada a Nossa Senhora do Sameiro, obra edificada em 1993, foi agora alvo de integral restauro e requalificação, com destaque para as melhores condições de iluminação e conforto para os devotos, com a instalação de bancos e genuflexório. De destacar que esta obra não custou um cêntimo à Confraria do Sameiro, graças ao contributo de várias pessoas e entidades, a saber: oferta da construção e colocação dos bancos e genuflexório, por Apruma, Sr. José Alberto Barbosa, em memória dos pais (Justino Barbosa e Ermelinda Rodrigues Ferreira, falecidos) e traço da arquiteta Eduarda Rocha, que ofereceu o desenho dos mesmos; oferta de tintas e produtos de impermeabilização das paredes exteriores por Baukoncept, Sr. Nelson Carvalho; oferta do serviço de pintura do interior por R-Criar, Sr. José Eirinha; oferta do novo sistema de iluminação interior por Alfilux, Sr. José Barbosa e Sr. César Barbosa, em memória do pai (António Alberto Barbosa, falecido); oferta do novo sistema de iluminação exterior por Eletec, Sr. Sérgio Sousa; oferta das tinas (dos vasos/floreiras) por Reclatempo, Sr. Carlos Graça; oferta da nova porta de entrada pelo Sr. Fernando Araújo (Irmão e Tesoureiro da Confraria).

A imagem primitiva de Nossa Senhora, junto à Basílica, estava às escuras, mas já não está! Foram instalados dois focos de luz, de última geração, gentilmente ofertados ao Sameiro pela empresa Jolec, nas pessoas da Sra. Carla Reis e Sr. José Barbosa.

Finalmente, também foi concluído um novo assento (ou murete), na apelidada Alameda dos Jacarandás, junto à Capela do Santíssimo, obra com o risco do Arquiteto Gerardo Esteves (também Irmão da Confraria) e o apoio da empresa Granicel, que ofereceu o passeio contíguo ao banco e da CMB, na pessoa do Eng. Altino Bessa, que ofereceu as árvores Jacarandás.

 

Eucaristia e Magusto

No final deste curto evento comemorativo, seguiu-se, pelas 16h15, o Ofício pelos Irmãos falecidos e a Eucaristia, momentos de solidariedade para com os que partiram e de união com as famílias enlutadas e com a grande família do Sameiro que pela terra ainda peregrina. Pelas 17h30, deu-se início ao tradicional magusto, evento regressado depois da interrupção forçada pela pandemia. O magusto foi muito participado e animado musicalmente pelo grupo “Os Sinos da Sé”.

Eventos