A Conferência Episcopal Portuguesa convocou um Ano Missionário em todas as dioceses católicas do país, de outubro de 2018 a outubro de 2019, respondendo a uma iniciativa do Papa Francisco.

   “Ao longo deste Ano Missionário, de outubro de 2018 a outubro de 2019, façamos todos – bispos, padres, diáconos, consagrados e consagradas, adultos, jovens, adolescentes, crianças – a experiência da missão. Sair. Irmos até uma outra paróquia, uma outra diocese, um outro país em missão, para sentirmos que somos chamados por vocação a sermos universais”, refere a Nota Pastoral ‘Todos, Tudo e Sempre em Missão’, divulgada na solenidade de Pentecostes deste ano.

   O documento surge depois de o Papa Francisco ter convocado um “mês missionário extraordinário” para outubro de 2019, por ocasião do centenário da Carta Apostólica Maximum Illud, de Bento XV. “Acolhendo com alegria a proposta do Papa Francisco de um Mês Missionário Extraordinário para toda a Igreja, nós, Bispos portugueses, propomo-nos ir mais longe e celebraremos esse mês como etapa final de um Ano Missionário em todas as nossas Dioceses, de outubro de 2018 a outubro de 2019”, assinala a CEP.

   Os responsáveis católicos de Portugal esperam que esta iniciativa promova “um maior vigor missionário em todas as dioceses, paróquias, comunidades e grupos eclesiais, desde os adultos aos jovens e crianças”. “Trata-se de colocar a missão de Jesus no coração da própria Igreja, transformando-a em critério para medir a eficácia das estruturas, os resultados do trabalho, a fecundidade dos seus ministros e a alegria que são capazes de suscitar, porque sem alegria não se atrai ninguém”, precisa o texto. “Que a missão universal ganhe corpo em todos os âmbitos da pastoral e da vida cristã, que nos animem a ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho”, apelam.

   Nós, devotos de Nossa Senhora, temos que aprender com Ela a viver este ano de graça. Maria é a grande missionária, continuadora da missão de Seu Filho e formadora de missionários. Ela, da mesma forma como deu à luz o Salvador do mundo, Maria traz-nos continuamente o Evangelho. Os diversos títulos e os santuários espalhados por todo o mundo testemunham a presença próxima de Maria às pessoas, e, ao mesmo tempo manifestam a fé e a confiança que os devotos lhe dedicam.

   Maria foi missionária desde que aceitou gerar o filho de Deus, pois, mesmo sem entender o alcance da sua missão, Ela deixou-se conduzir pela vontade de Deus e deu o seu “sim”, e, no Calvário, Maria recebe a missão que continua viva até hoje, a de ser Mãe de cada um de nós. Nossa Senhora é Mãe e Modelo, desempenhando um papel de educadora. Deseja conduzir os seus filhos pelo caminho da salvação. Maria cumpre esta missão com o seu exemplo de vida: fidelidade ao projeto do Pai. Depois da Ascensão, Maria está com os apóstolos no cenáculo, em Pentecostes. E, em toda história da Igreja, Maria está presente. Os títulos que Maria recebeu em muitos lugares atestam a sua presença e a piedade do povo que a reconhece como Mãe: Guadalupe, Lourdes, Fátima, Aparecida… Tantos lugares, uma missão: levar os seus filhos a Jesus.

   Pela sua cooperação na obra do Redentor, continua a sua função de Mãe intercedendo como “Medianeira de todas as graças”. Esta presença de Maria é reconhecida pelos Padres da Igreja, pelos Papas e por todo o povo de Deus. Assim, “Maria é a grande missionária, a continuadora da missão de Seu Filho e formadora de missionários”. Hoje, mais do que nunca, a Igreja é convidada a voltar os seus olhos para a vida de Maria. Ela “reúne os filhos dispersos” (Jo 11,52). Como Mãe da Igreja, ela é apresentada como “artífice de comunhão… Ela atrai as multidões à comunhão com Jesus e com a sua Igreja”. Maria continua a formar os discípulos e missionários para que eles possam responder com fé, dedicação, perseverança e compromisso permanente ao grande chamamento que o seu Filho Jesus Cristo faz a todos. Ela nos ensina a seguir a Cristo; ela é a grande inspiradora da escola de Jesus; ela nos ensina que o discípulo deve ter um contato permanente com a Palavra de Deus.

   Que tenhamos sempre o exemplo de atitude missionária que Maria cultivou, com toda perfeição, no Seu coração, e possamos, espelhados em Maria, e contando com a Sua intercessão, continuar com a Missão que nos foi confiada por Deus, seja ela qual for, e que o amor de Nossa Senhora nos envolva agora e durante toda a nossa missão!

Bom Ano Missionário!