Quatro doutores da Igreja se encontram na forma de belas estátuas na entrada do acesso lateral que nos conduz para a Basílica de Nossa Senhora do Sameiro: São Cirilo de Alexandria, São Bernardo de Claraval, Santo António de Lisboa e Sto. Afonso de Ligório. Todos estes santos têm grandes méritos no aprofundamento, na defesa, propagação e argumentação do culto que se deve à nossa Mãe celeste.

   Quatro estátuas de anjos se encontram mais adiante em frente da Reitoria e da Casa das Estampas: os três Arcanjos São Gabriel, São Miguel, São Rafael e o Anjo de Guarda de Portugal. Também estes têm grandes méritos em relação a Nossa Senhora: São Miguel precipitou no inferno o Grande Dragão e seus sequazes quando estes se revoltavam contra o plano de DEUS, de elevar “a Mulher vestida do Sol” (cf. Ap 12) acima de todas as criaturas, inclusive os Anjos. São Gabriel é o Mensageiro de MARIA como rezamos diariamente no “Angelus”: “O Anjo do Senhor anunciou a MARIA, e Ela concebeu do ESPIRITO SANTO.” São Rafael liberta Sara, no livro de Tobias, da acção terrivel do demónio (Tob 8). Sara, neste momento, é símbolo da Igreja, imagem de MARIA que também é atormentada no decorrer dos séculos pelas maquinações do inferno e precisa da intervenção de “Rafael”, ou seja, da ajuda dos santos Anjos. O Anjo da Guarda de Portugal, enfim, tornou-se, em Fátima,  “precursor” das aparições de Nossa Senhora ao dizer na segunda aparição aos três pastorinhos: “Os corações de JESUS e de MARIA têm sobre vós desígnios de misericórdia.”

     Enquanto os quatro Santos Doutores estão como “porteiros” na entrada do acesso lateral para o Santuário, os quatro Anjos ladeiam este caminho como companheiros de viagem para alcançarmos a coroa da vida a bem-aventurança eterna, simbolizada pelo próprio Santuário. Por isso, não é por acaso que diante deles encontra-se o monumento da coroa que lembra o centenário da coroação da Imagem de Nossa Senhora do Sameiro (1904-2004). Os Anjos, de facto, são todos eles enviados ao serviço daqueles que hão-de herdar a salvação, diz-nos a carta aos Hebreus (Hb 1,14).  A salvação completa consiste em que reinemos com CRISTO-Rei e Sua Rainha. Em termos do Evangelho, porém, reinar significa servir e nisso os santos Anjos são peritos (cf. Sl 102(3),21), sendo servos, por excelência, de DEUS e dos homens.

   Poderia alguém questionar: “Porquê os Anjos? Temos JESUS e temos MARIA, que precisamos mais?” Isto soa a protestantismo, ao dizer: “Porquê MARIA, porquê os Santos? Temos JESUS e isto nos basta” São Luiz Maria de Monfort responde: “MARIA é o eco fiel de DEUS. Se tu dizes “MARIA”, Ela diz “JESUS.” Que belo eco! É curioso que este jornal se chama “Ecos do Sameiro”! O mesmo vale para o Anjo: Se tu dizes “Anjo,” ele responde “DEUS” (EL=DEUS, p.ex. Gabri-EL). É por esta razão que a Igreja canta no prefácio da bem próxima festa dos santos Arcanjos (29 de setembro) e dos Anjos de Guarda (2 de outubro): “Honrando estes mensageiros celestes, exaltamos a Vossa infinita bondade, porque a veneração que eles merecem é sinal da Vossa incomparável grandeza sobre todas as criaturas.” Os Anjos nos ajudem a sermos ecos de DEUS, de JESUS e MARIA!