Este concurso submete-se ao lema: “O Sameiro, um Reino de Paz”.

E as razões são várias.

Na verdade, o Sameiro, pela beleza que o carateriza, pela bonança que nele se respira, pelas paisagens deslumbrantes que se contemplam, inspira tranquilidade, repouso, paz.

Além disso, no Sameiro mora a Rainha da Paz. Essa paz que não temos nos dias de hoje. E que nos leva a rezar: Virgem Maria, Mãe do Céu e Senhora Nossa, tu podes salvar-nos da guerra; tu podes livrar o mundo de tanta atrocidade, de tanta violência, de tanta agressão. Livra-nos do ódio, da prepotência, da injustiça, da opressão. Limpa as lágrimas de todos os rostos, de todos os povos, de todos os corações.

Mãe do Céu, ajuda-nos a ser construtores de paz e semeadores do perdão, pois onde não há perdão, não há paz.

Ajuda-nos a não adiar o Amor, não a não adiar o Sorriso, o Olhar de Candura, a Boa Palavra, o Abraço Caloroso e o Beijo de Ternura…

E agora voltamos ao concurso: captar o Sameiro enquanto cenário de paz, transmissor de paz, altifalante dos pedidos dos homens por um mundo mais pacífico, mas irmão e mais harmonioso.

As fotografias submetidas a concurso, devidamente avaliadas por um júri e premiadas consoante o mérito, deverão depois ser expostas, prolongando a finalidade do concurso: dar a conhecer o Sameiro, os devotos, as devoções, a força de uma crença, a ternura de um amor para com a Padroeira de Portugal.

Notícias